Calha Norte Sustentável

Responsável pelo projeto

Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora)

Abrangência Territorial

Municípios de Oriximiná e Alenquer, no estado do Pará

Beneficiários

34 comunidades quilombolas e 01 assentamento da região

Objetivo

Fortalecer o extrativismo e a agricultura familiar como vetores do desenvolvimento da Calha Norte Paraense, por meio da implantação de unidades de beneficiamento de alimentos, de viveiro de mudas para Sistemas Agroflorestais (SAFs) e de marcenaria comunitária, em comunidades quilombolas e assentamentos

Valor total do projeto

R$ 3.312.877,00

Valor do apoio do Fundo Amazônia

R$ 3.312.877,00

Prazo de execução

42 meses (a partir da data da contratação)

  

Evolução do Projeto

 

Data da aprovação

26.08.2014

Data da contratação

29.10.2014

1º Desembolso em 22.12.2014

R$ 352.261,50

2º Desembolso em 13.01.2016

R$ 1.102.105,51

3º Desembolso em 12.01.2017 R$ 1.045.676,15

Valor total desembolsado

R$ 2.500.043,16

Valor total desembolsado em relação ao valor do apoio do Fundo Amazônia

75%

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Site do responsável pelo projeto: http://www.imaflora.org

 Projeto selecionado no âmbito da Chamada Pública de Projetos Produtivos Sustentáveis do Fundo Amazônia.

Contextualização

A Calha Norte Paraense possui cerca de 28 milhões de hectares e ocupa 23% do Estado do Pará. Está localizada ao norte do rio Amazonas e abriga nove municípios: Alenquer, Almeirim, Curuá, Faro, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Prainha e Terra Santa. A região possui o maior conjunto de áreas protegidas (Unidades de Conservação, Terras Indígenas e Terras Quilombolas) de florestas tropicais do planeta, com aproximadamente 22 milhões de hectares. Somadas às áreas protegidas do Amapá e Amazonas, a Calha Norte do Pará compõe o maior corredor de biodiversidade do mundo (http://www.imazon.org.br/publicacoes/calha-norte).

As principais atividades econômicas das comunidades quilombolas de Oriximiná são o extrativismo (destaca-se a castanha-do-brasil) e a agricultura. Todavia, ocorre que os quilombolas enfrentam muitas dificuldades para comercializar a castanha com autonomia, dependendo de regatões e outros atravessadores, o que diminui drasticamente a margem recebida por venda. Para mudar esse cenário, o Imaflora já vem trabalhando na promoção do desenvolvimento da cadeia de comercialização em conjunto com essas populações e este projeto visa fortalecer essas ações na região.

Com os moradores do assentamento Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) Paraíso, o Imaflora iniciou um trabalho voltado para o fortalecimento institucional da associação local, bem como atividades voltadas à sensibilização e à capacitação destes atores para práticas agrícolas sustentáveis. Este projeto visa a continuidade de tais ações.

O Projeto

O projeto foi estruturado por meio do apoio a subprojetos de associações (aglutinadas). Destacam-se as seguintes ações: (i) construção, estruturação e implementação de 4 unidades de beneficiamento de alimentos em comunidades quilombolas do município de Oriximiná para fomento a mercados institucionais; (ii) construção e estruturação de 1 viveiro para produção de mudas visando a implantação de Sistemas Agroflorestais e a recomposição florestal no PDS Paraíso, no município de Alenquer; e (iii) construção e estruturação de 1 marcenaria para promoção do manejo florestal de uso múltiplo e geração de renda em comunidades remanescentes de quilombos de Oriximiná.

A implantação desse projeto beneficiará, diretamente, 1.500 pessoas no município de Oriximiná/PA e 100 pessoas do assentamento PDS Paraíso, localizado em Alenquer/PA. Indiretamente, os nove municípios que compõem a Calha Norte serão beneficiados, pela dinamização da economia local e por oferecer novas referências de atividades produtivas sustentáveis.

Lógica de Intervenção

O projeto se insere na componente "Produção Sustentável"do Quadro Lógico do Fundo Amazônia. Clique na imagem abaixo para visualizar sua árvore de objetivos, ou seja, como se encadeiam os produtos e serviços do projeto com os objetivos específicos e o seu objetivo geral.

imagem_20_IMAFLORA_Arvore_de_Objetivos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Organizações Parceiras do IMAFLORA na execução do projeto:

imagem_IMAFLORA)Aglutinadas


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Atividades realizadas

Foram realizadas oficinas e reuniões nas comunidades abrangidas pelo projeto envolvendo suas lideranças, nas quais foram definidas quais comunidades sediarão as quatro UBAs, a marcenaria e o viveiro. Em seguida, foram levantadas e solucionadas as questões legais, ambientais e trabalhistas necessárias ao regular funcionamento dos empreendimentos para elaboração dos projetos executivos de engenharia e arquitetura.

Encontram-se em fase final de construção as quatro Unidades de Beneficiamento de Alimentos (UBAs) e a marcenaria previstas no projeto. Seis comissões comunitárias, criadas no âmbito do projeto, realizam o acompanhamento das obras e garantem a legitimidade das decisões que o projeto envolve.

Destaca-se que estão sendo aplicadas medidas para aumento do impacto social e redução de custo e impacto ambiental nas obras, como a priorização de materiais locais ou reaproveitados e emprego de mão de obra local em todas as atividades.

Além disso, foi realizada a primeira entrega da produção dos quilombolas para a merenda escolar via PNAE, que somou quase 4 ton de alimentos e gerou R$ 19.455,45 em renda para as comunidades.